Em defesa do sistema Eletrobras


A deputada federal Jô Moraes (PCdoB/MG) afirmou hoje (21) ter convicção não só que o Congresso Nacional irá reagir, barrando a privatização da Eletrobrás e suas distribuidoras, como se disse impressionada com o crescimento da adesão popular à mobilização em prol do sistema de energia.  “O número de representações de trabalhadores das empresas do sistema que integra a nossa luta cresce a cada dia. Mas o que mais impressiona é o fato de deputados de diferentes partidos, incluindo os da base governista, também reagirem, pois estão compreendendo a ameaça para a soberania nacional que representa a entrega da Eletrobras”. As afirmações foram feitas durante manifestação que reuniu centenas de trabalhadores, representantes de movimentos sociais, populares, deputados e senadores, na Câmara dos Deputados, contra a privatização do sistema Eletrobras. É que já chegou à Casa  o Projeto de Lei 9.463/2018,que dispõe sobre a desestatização da estatal de energia elétrica.

Jô destacou ainda que “até mesmo a população que se mostrava meio apática em relação ao tema – defesa das estatais no rol das privatizações –, já reage e se indigna, pois começa a compreender o que significa esta privatização: trata-se da ameaça de redução da iluminação; significa o aumento da tarifa, da conta que é muito alta em todas as casas brasileiras”, denunciou.

Desmonte

WhatsApp Image 2018-02-21 at 15.10.07 (2)“O desmonte do Estado brasileiro de tudo aquilo que nossa gente construiu com muito sacrifício, com muita luta está sendo tramado a cada dia por este governo ilegítimo. Eletrobras, Petrobrás, Embraer são empresas que mostram a capacidade criativa do povo brasileiro, e estão sendo entregues. Por isto estamos aqui nesta imensa plenária com a convicção de que daqui não arredaremos o pé. Eu cheguei na hora de compartilhar com todos vocês esta energia, está grande unidade que surge no País entre todos nós: Eu não vendo o meu País!” afirmou entre aplausos dos presentes que por diversas vezes entoaram o refrão: “Não! Não! Não! Não à privatização!”

“O governo Temer está desconstruindo qualquer projeto sério de Nação. Por isso o coração e a consciência dos que estão aqui já dizem: Este País é nosso, quem não tiver compromisso com ele que vá embora para bem longe. O Brasil não está à venda”,  disse a parlamentar.

Jô também denunciou o contingenciamento de recursos essenciais para a segurança pública, os R$ 60 milhões retirados do sistema de satélites para patrulhamento das fronteiras e as medidas. E rechaçou os 15 pontos anunciados pelo governo federal que além da privatização da Eletrobras, preveem a extinção do Fundo Social Soberano e praticamente a entrega do Banco Central ao controle do mercado. “Se o Temer não quer o Brasil, que vá morar fora. Se o Meireles não quer o Brasil, que procure um lugar para destruir. O Brasil é nosso!”

No mesmo tom, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB/AM) disse que “estamos vivendo um massacre. Eles deram um golpe que não envolveu só a Presidência. O golpe envolveu a maior parte do Parlamento, envolveu  parte do empresariado brasileiro, das empresas, parte do Judiciário. E este golpe não ocorreu e nem findou naquele ano (2016). Pelo contrário, o que eles estão fazendo, gradativamente de lá para cá é consumar as razões do golpe, que é a desestruturação do Estado Brasileiro”, denunciou.

O ato, que contou com um grande número de participantes, foi coordenado pelos deputados Moisés Diniz (PCdoB/AC) e Paulão (PT/AL).

Fotos: Camila Paim